O Fim da Busca e Medictando entrevistam a Monja Cohen

monja-cohen

No próximo sábado dia 13/02, às 18:00, estarei na Livraria Cultura em Porto Alegre entrevistando a Monja Cohen, do Zendo Brasil sobre felicidade, desapego, amor, impermanência, a confusão dos nossos tempos, como lidar com a ansiedade, meditação e paz profunda.

A entrevista já faz parte do processo de busca e pesquisa para O Fim da Busca e também servirá para produzir conteúdo que traga o bem para os leitores de Medictando.

Se você tiver alguma pergunta que gostaria que eu levasse à Monja Cohen, preencha o formulário de contato abaixo com sua pergunta. Selecionarei as mais pertinentes dentro do tempo que me for permitido estar com ela.

[contact-form to=’communis.bonum@gmail.com’ subject='[ofimdabusca Monja Cohen’][contact-field label=’Nome’ type=’name’ required=’1’/][contact-field label=’Email’ type=’email’ required=’1’/][contact-field label=’Site’ type=’url’/][contact-field label=’Faça sua pergunta à Monja Cohen’ type=’textarea’ required=’1’/][/contact-form]

O Fim da Busca: O Começo

Bom dia companheirxs de jornada! Começa aqui mais uma deriva do caminho para a compreensão do que nos torna, enquanto humanos vivendo neste planeta, seres mais plenos, harmônicos, cheios de sentido e felizes.
Minha busca pessoal começou na adolescência, junto com a formação de minha própria identidade. Até então, tudo o que havia era hedonismo: buscar tanto quanto possível coisas que trouxessem prazer e minimizar os momentos de sofrimento. A adolescência trouxe a consciência de que, muitas vezes, queremos coisas que nos fazem sofrer, como aquela menina do segundo andar que era apaixonada pelo nosso colega de classe, e não estava nem aí pra gente. Chega plena e profundamente também a consciência de que queremos coisas para nós que fazem mal para outros, e então temos que lidar com o conflito – agora latente e não mais passível de sublimar (sem custos) – de que temos escolhas responsáveis a fazer, e podemos ser responsabilizados por estes atos.
Entre aqueles lampejos introdutórios de clareza e o momento em que vivo agora, no amanhecer de minha quinta década de vida (tenho 39 anos enquanto escrevo estas linhas), muitas águas rolaram, muitos lampejos perceptivos tiveram chance de adentrar meu arcabouço ideológico e teleológico e muitas experiências foram vividas diretamente ou narradas por pessoas próximas ou distantes. Todas elas compuseram um mosaico, uma colcha de retalhos que, hoje, perfazem este ser humano que vos fala e que irá tentar, no decorrer dos próximos anos, responder a algumas questões que me intrigam e que bem podem preocupar ou lhes deixar curiosos também.
Captura de Tela 2016-01-30 às 19.35.26
A jornada que estamos começando juntos hoje vai percorrer os caminhos que a humanidade percorreu para compreender e praticar os movimentos que nos aproximam daquilo que se convencionou chamar de Felicidade. Tal qual o Amor, é uma palavra tão incompreendida quanto são incontáveis os grãos de areia de uma praia. Passaremos por várias definições, e teremos chance de escolher aquela que mais faz sentido para cada um de nós. Mais do que isso, aprenderemos, com a experiência de filósofos, místicos, pesquisadores, sociólogos, antropólogos, médicos, economistas, psicólogos, religiosos e de todos aqueles que resolveram investigar este campo tão incrível quanto misterioso que é a Felicidade, quais são as ações que podemos tomar para nos aproximar, tanto quanto possível, de uma felicidade contínua e duradoura.
Aqui não dividiremos apenas conquistas e resultados positivos, mas também angústias, percalços e dúvidas que forem surgindo no decorrer de nossa investigação. Então esteja preparado para alguns cocorutos na estrada! Traga seu kit de primeiros socorros e tenha certeza de que me acompanharás com a resistência necessária para este longo percurso.
Durante o caminho, sua ajuda será inestimável: ela me guiará pelos caminhos mais escuros e sinuosos e, quando parecer que estivermos sem saída, a luz que você traz consigo pode iluminar o trajeto e ajudar a encontrar uma saída.
Captura de Tela 2016-01-30 às 19.34.23
Há algum tempo, resolvi dar o nome a este percurso de Doutorado Informal, mas hoje percebo que talvez isso não faça mais sentido. Vou renomeá-la de Jornada em Busca da Senciência e da Sapiência da Felicidade. Se chamaria de Doutorado Informal, pois seria uma tentativa de demonstrar que, mesmo sem a realização de um Doutorado Formal, vinculado a uma instituição de Ensino Superior e atrelado a burocracias e caminhos pré-determinados pelo seu orientador, conseguiríamos produzir algo verdadeiramente relevante para a sociedade de forma autodidata e livre. Explicarei isso melhor oportunamente.
Ainda tenho esta convicção, a de que o meio acadêmico pode tanto proporcionar os meios para uma pesquisa bem-sucedida quanto oferecer os vícios para uma pesquisa tendenciosa. Se ao final deste trajeto de busca auto-guiada eu for bem-sucedido, vocês me dirão.
Este blog tem uma data de início (hoje), mas não tem uma data precisa para terminar. Talvez ele dure 3, 5 ou quem sabe 10 anos. Mas como instrumento de pesquisa, ele irá cumprir um certo cronograma, por mim estipulado, e apresentado a seguir.
Etapa 0 > Criação e Lançamento do Blog “O Fim da Busca” > CONCLUÍDA!
Etapa 1 > Criar uma Pesquisa Online | Questionário
Para traçar a linha-guia da pesquisa que se seguirá, bem como encontrar os meios para responder às questões que surgirem. Pessoas, recursos, publicações, tudo deverá ser cartografado.
Etapa 1.1 (de 31/01/2016 a 31/03/2016)
Pesquisa:
1. Which are the most important questions anyone that is researching about happiness need to ask to begin to understand happiness?
2. Who are the people (researchers, practitioners, human beings in general) anyone that is researching about happiness need to keep in touch with?
3. Can you provide the means to contact them?
4. Witch are the places on Earth i should visit to better understand the meaning of happiness?
5. Witch are the books, papers, magazines, websites, writings in general, audios, videos i should take note to read/listen/see in order to better comprehend the mistery of happiness?
Etapa 1.2 (de 31/01/2016 a 30/04/2016)
Criar o Syllabus inicial (Cronograma de Estudos e Lista de Leituras a serem feitas)
Etapa 1.3 (de 01/04 a 01/07/2016)
Realizar os contatos com os pesquisadores, praticantes, seres humanos em geral interessados no tema Felicidade.
Selecionar alguns deles como meus tutores/orientadores
Etapa 1.4 (de 01/05/2016 a 01/07/2016)
Pesquisa:
1. What is the best definition of Happiness for you?
2. Which are the simplest recommendations for anyone to increase their probability to life a happy and meaningful life?
3. In contemporary world which are the most probable actions to avoid so to permit happiness to touch us?
4. Plus Questions drawn from Etapa 1
Etapa 1.5 (de 01/07/2016 a 01/09/2016) > Crowdfunding para custear a etapa 2 – conseguir ajuda na comunidade que tem interesse sobre o tema para possibilitar a realização das viagens e gastos da Etapa 2
Entrar em contato com revistas, editoras, jornais, produtoras, canais de tevê/rádio que podem demonstrar interesse em co-financiar a empreitada > Criar um “Media Kit” para apresentar o projeto
Etapa 2 > Pesquisa de Campo (de 01/01/2017 a 01/01/2019)
Visitas presenciais a Centros de Pesquisa e Locais de Vivência de Felicidade ao Redor do Mundo.
Criação de documentários, documentos, entrevistas, fotografias, artigos, programas de rádio, podcasts nos locais e com pessoas significativas, que irão nos ensinar tudo o que sabem sobre qualidade de vida, bem-estar físico e emocional e felicidade
Etapa 3 > Análise dos dados colecionados, Síntese e Produção dos Livros O Fim da Busca – volumes 2 e 3
Ao longo de todo processo, criação de postagens no blog documentando o processo, realizando pesquisas abertas e direcionadas, lendo e resumindo a bibliografia selecionada, buscando orientação presencial e remota com expoentes na pesquisa e prática da Ciência da Felicidade.
As Etapas acima são fornecem um esboço inicial do plano de estudos e publicações, a ser detalhado assim que o escopo da pesquisa for sendo lapidado. Não existe limitação a priori para o que esta pesquisa pode vir a se tornar. Não estamos dentro de um ambiente acadêmico com suas formalidades, limites e pré-determinações. A despeito disso, primaremos pela documentação de todos os passos, para que se possa inferir um viés científico sobre toda a investigação a ser feita.
Captura de Tela 2016-01-30 às 19.34.46
Durante toda jornada, as intervenções de eventuais leitores e outros pesquisadores será muito bem-vinda, tanto para correção de eventuais erros interpretativos ou mesmo como forma de adicionar comentários enriquecedores ao conteúdo do que virão a ser os artigos produzidos durante os anos de pesquisa e os dois livros ao final do processo.
Meu profundo desejo é que este caminho possa servir para produzir verdadeiro benefício a todos seres sencientes, a partir da tomada de consciência sobre certas constatações que, desde já, intuo serão demonstradas a partir das leituras, contatos travados e experiências realizadas ao longo do tempo.

Que esta intuição seja verdadeira!

Namastê